Menu
Dá uma luz aqui

Como o ângulo de abertura da lâmpada influência no seu efeito

O ângulo de abertura da lâmpada é uma das muitas informações que constam na embalagem do produto que, muitas vezes, passam despercebidas. No entanto, o ângulo pode mudar totalmente o efeito da iluminação, e ser responsável pelo erro (ou acerto) da luz do ambiente. Por conta dessa variedade tão grande de detalhes relacionados ao produto, o Brilia, dá uma luz aqui! irá buscar esclarecer todas as suas dúvidas sobre o assunto. Confira!

O que é ângulo de abertura?

Como o nome já diz, é a angulação da abertura da luz, ou seja, o quanto os fachos de luz abrem em relação à fonte luminosa. Quanto menor o ângulo, menor será a abrangência da iluminação e maior será a concentração da luz na área, também chamada de foco. Dessa forma, podemos dizer que o ângulo de abertura e o foco são grandezas inversamente proporcionais: se o ângulo aumenta, o foco diminui, e a luz se torna menos direcional e mais abrangente.

Entenda qual o seu objetivo com a iluminação

Para escolher a melhor lâmpada para o seu ambiente, é importante começar definindo o seu objetivo com a iluminação. Você quer dar destaque para um quadro que está na parede? Ou você precisa de uma luz para o seu quarto, que ilumine todo o ambiente e seja funcional? Esse objetivo servirá como norte tanto para o tipo de lâmpada e luminária, como para o ângulo de abertura que você irá escolher. Profissionais luminotécnicos são as pessoas mais indicadas para criar um projeto de iluminação adequado, que se encaixe na sua rotina e, principalmente, na sua relação com a luz.

Não busque projetos prontos ou ideias fechadas: a iluminação não possui regras absolutas. O importante é que você identifique o que você quer, de fato, com aquela luz, e o que você deseja sentir com ela. A iluminação mais geral, por exemplo, tende a ser mais neutra, mas isso não é uma obrigação. Quando atrelamos o ângulo de abertura a outros fatores, como temperatura de cor ou modelo de luminária, passamos a expressar diferentes sentimentos.

O mesmo ocorre para a iluminação de destaque, que pode ter um ar mais divertido, dramático, moderno, artístico. Tudo depende dos sentimentos que você deseja retratar e dos artefatos que você usa para isso!

Escolha o produto ideal

Sabendo o efeito que você quer criar, é mais fácil escolher o produto ideal. No entanto, é fundamental ressaltar que o ângulo não é o único fator importante para essa escolha. Se você colocar uma lâmpada com ângulo pequeno em uma altura muito grande, ele irá iluminar de forma mais geral, talvez até melhor do que uma lâmpada de ângulo grande em uma altura muito pequena. A direção também influencia, pois, uma mesma lâmpada, virada para a parede e virada para o chão, produz efeitos muito diferentes. Veja alguns exemplos!

Para iluminar

Se o seu objetivo é iluminar, você deve optar por ângulos mais abertos, que abrangem mais área. Os ângulos de 120 a 60º graus são os ideias. 

Se o objetivo é destacar, os ângulos menores são os mais adequados. Eles costumam fazer um desenho na parede, de forma bem marcante, por terem um foco muito alto. Os ângulos entre 40º e 24º são os médios, que, além de darem um super destaque, acabam fazendo uma boa iluminação. Já os ângulos de 10º e 12º são os mais focados.

Ângulo médio, 36º
12º de ângulo
10º

Para decorar

Existem ainda aquelas opções que são decorativas, e tem pouca função de iluminação. É o caso dos bipinos e das bulbos – que podem chegar a um ângulo de abertura de 300º

Bipinos, 230°
Bulbos, 300°